Alimentos Orgânicos X Alimentos Convencionais

A verdade sobre comidas orgânicas x comidas convencionais: É mais do que apenas pesticidas

Por Mike Geary, Personal Trainer Certificado e Especialista em Nutrição
Autor dos Best Sellers: Cozinha Queima Gordura & 101 Alimentos Antienvelhecimento

Alimentos Orgânicos VS Alimentos Convencionais

Eu sei que parece haver um debate entre os profissionais de saúde, nutricionistas e os meios de comunicação dando opiniões diferentes sobre se vale a pena comprar o alimento orgânico mesmo que o preço seja um pouco mais elevado.

Mas existem alguns aspectos muito importantes sobre os alimentos orgânicos que eu raramente vejo alguém falando por aí.

Em primeiro lugar, como você sabe, o principal aspecto sobre o qual a maioria das pessoas fala quando o assunto é alimentos orgânicos e alimentos convencionais é do seu cultivo com pesticidas, herbicidas ou fertilizantes químicos e se esse alimento contém algum resíduo dessas substâncias quando vamos comê-lo.

E isso é importante, quer dizer, eu sei que não quero estar ingerindo resíduos de pesticidas que são potencialmente carcinogênicos ou mesmo estrogênicos e podem, eventualmente, aumentar a gordura da barriga (devido aos xenoestrógenos químicos), e eu tenho certeza de que você não quer isso!

Mas há um outro aspecto importante sobre o alimento orgânico e o alimento convencional que a maioria das pessoas não enxerga:

-> Os impactos dos produtos químicos agrícolas convencionais sobre o solo, e como isso afeta a composição nutricional do alimento (quantidade de vitaminas, minerais e antioxidantes)

Os fertilizantes químicos agressivos, pesticidas e herbicidas utilizados na agricultura convencional podem destruir uma grande parte da atividade microbiana no solo (bactérias e fungos) deixando os minerais do solo menos disponíveis para as raízes das plantas. A agricultura convencional degrada este solo, o que resulta em menores níveis de micronutrientes nas plantas que você come.

Alimentos Orgânicos

Na agricultura orgânica, esses produtos químicos não são usados e o solo é mais saudável e biologicamente mais ativo (fungos e bactérias ajudam as raízes das plantas com absorção de minerais e outros nutrientes), e as raízes das plantas podem, portanto, obter mais nutrientes e produzir alimentos com níveis mais elevados de antioxidantes e micro-nutrientes.

Além disso, muitos cientistas acreditam que o uso intenso de fertilizantes químicos, que fazem as colheitas crescerem muito mais rápido do que o normal, leva a um sistema radicular mais superficial. Essa raiz mais superficial absorve inerentemente menos micro-nutrientes do solo, em comparação a plantas orgânicas com raizes mais profundas e sistemas radiculares mais extensos.

Eu aposto que você nunca pensou sobre esse aspecto do alimento orgânico antes!

Eu acho que é muito fácil ver porque os alimentos orgânicos podem ter níveis superiores de nutrição e mais vitaminas, minerais e antioxidantes do que alimentos convencionais.

Mas cuidado com “relatórios” conflitantes que vemos por aí, sobre este tema. Embora haja muitos dados sobre os níveis superiores de nutrição dos alimentos orgânicos, você também pode encontrar alguns dados que contradizem estes resultados em estudos particulares.

A razão pela qual isso acontece é que a ciência não é perfeita e alguém pode medir os níveis de nutrição de um certo tipo de tomate convencional, por exemplo, comparado a um tipo diferente de tomate orgânico, cultivado em uma área geográfica muito diferente com diferença de solos e clima. Há dezenas, ou mesmo centenas de complicações com estes tipos de estudos, e é por isso que você não pode sempre fazer comparações diretas.

No entanto, eu acho que com as evidências mostradas em termos de qualidade do solo, a absorção de nutrientes, e também só o simples fato de que nós não queremos substâncias químicas cancerígenas e estrogênicos na nossa alimentação, com certeza vale a pena tentar comprar alimentos orgânicos sempre que possível.

Também tenha em mente que quanto mais nos mobilizarmos fazendo escolhas inteligentes e comprando mais alimentos orgânicos, mais as empresas irão responder a essa demanda e os preços vão descer naturalmente ao longo do tempo, tornando-se muito próximos ao preço do alimento convencional.

Às vezes, o local do produto pode ser mais importante do que ser “Orgânico”

Aqui está outra coisa extremamente importante para ter em mente:

Se, no supermercado, os alimentos orgânicos vierem de locais (como Chile ou Nova Zelândia, e você vive na América do Norte), então é melhor você dar preferência aos produtos locais, mesmo que não estejam rotulados como “orgânicos”.

comidas normais VS orgânicas

Por uma razão, muitas plantações agrícolas locais podem realmente ter produtos orgânicos, mas simplesmente não estão legalmente autorizados a rotular os alimentos como “orgânicos”, caso não tenham adquirido as licenças que precisam para isso. Se você perguntar aos agricultores, muitas vezes você pode descobrir que a produção agrícola local é, de fato, orgânica ou, pelo menos, próxima à orgânica (o que significa que eles usam poucos produtos químicos em comparação com algumas fazendas maiores).

Além disso, os produtos locais colhidos no pico de maturação, que chegam até você em questão de horas ou dias, geralmente têm níveis de nutrição muito mais elevados em comparação com os “orgânicos” produzidos e colhidos do outro lado do mundo bem antes que ficassem maduros e que viajassem semanas até chegar aos nossos supermercados.

A única ressalva é o produto congelado, às vezes, frutas e vegetais são colhidas em seu pico de maturação e congelados rapidamente, e mesmo que viajem ao redor do mundo, eles se mantêm frescos. Neste caso, frutas e legumes orgânicos congelados podem ser tão nutritivos quanto os produtos locais (embora possam carregar um preço maior do que os produtos locais por conta das despesas de transporte).

Então, se eu fosse dar minhas recomendações gerais para que você se salve dos perigos inerentes que os pesticidas e herbicidas podem trazer à sua saúde, além de comer alimentos que contenham os mais altos níveis de vitaminas, minerais e antioxidantes, seriam estas:

1. Dar preferência aos orgânicos quando estiverem disponíveis;

2. Preferir os alimentos orgânicos locais ao invés daqueles que vieram de distâncias muito longas (embora frutas e legumes orgânicos congelados vindos de longe possam ser tão nutritivos quanto os locais);

3. Não se esqueça que a escolha do alimento orgânico também ajuda a proteger o meio ambiente, já que fertilizantes químicos e poluição por pesticidas podem prejudicar ecossistemas, perturbar a microbiologia do solo e, potencialmente, até mesmo contaminar o abastecimento de água potável;

4. Não caia nas propagandas de “porcarias orgânicas”: eu tenho visto essa tendência nos últimos tempos – Só porque as bolachas, biscoitos, bolos, cereais e salgadinhos de milho são feitos com vegetais orgânicos e possam ser rotulados como “orgânicos”, não significa que sejam saudáveis, porcarias são sempre porcarias! Estes alimentos são excessivamente processados e podem fazer você engordar!

5. Se você ainda não compra só alimentos orgânicos, pelo menos, certifique-se de escolher orgânicos quando se tratar dos 6 piores produtos convencionais em termos de resíduos de pesticidas:

  • aipo
  • cebolas
  • pêssegos
  • morangos
  • maçãs
  • mirtilos

Estes são 6 dos alimentos mais importantes para comprar apenas os orgânicos.

Lembre-se que a mudança para a agricultura responsável começa com suas escolhas como consumidor. Quanto mais exigimos e consumimos bons produtos, escolhendo os alimentos que colocamos em nossos carrinhos de compras, mais os produtores e fornecedores irão responder a essa demanda, os preços vão descer e os alimentos se tornarão de melhor qualidade.